quarta-feira, 20 de junho de 2018

ALUNOS COM VENCIMENTO NO PRÓXIMO SÁBADO 23/06/18


Ana Clara Palhano Barrios da Cunha
Anna Carolyne Paula de Carvalho
Antoniele Luiza da Cruz Souza *
Cínthya Fernanda Esteves dos Santos *
Flávia Mariana Moreira
Gabriel Henrique Souza Silva
Grazielly Campos de Moraes *
Iasmim Gabrielly Campos de Moraes *
Isabella Bourcheid dos Santos
Jaqueline Coimbra Lemos de Souza
João Guilherme da Silva França
João Victor Scherbach Evangelista
José Carlos Sampaio de Figueiredo
Kamilly Miranda de Lima
Kethelyn Leticia Oliveira de Souza
Kimberlyn Vitória de Oliveira Soares
Larissa Clara Sabino Ferreira
Lucas Santos Lara da Cruz
Mariana Abreu Araújo
Michelly Pedroso de Souza e Silva
Milena Franco Marques Barros *
Walmir Breno Lucena Reis *


CARTÃO DE CURSOS 2018


segunda-feira, 18 de junho de 2018

TAREFA DE MATEMÁTICA PARA 23/06/18 – VALE 5,0%


Olá meu queridos, vamos para mais uma tarefa?
Bom primeiro, quero que leiam as REGRAS DE TAREFA(http://cursopreparatorioparacefetmt.blogspot.com.br/2016/02/regras-de-tarefa-do-curso-para-novos.html) para realizarem-na de forma correta e não deixar que sejam desclassificadas. Isso porque alguns alunos estão insistindo em realizar as tarefas de forma incorreta.



01) Calcule a equação a seguir e marque a alternativa que contenha seu resultado correto:

-4 (x + 8) - 6 (5 - x) = - 2x – 4

a) S = { 1/2 }
b) S = { 13/3 }
c) S = { 21/2 }
d) S = { 29/3 }
e) nra

02) Calcule a equação a seguir e marque a alternativa que contenha seu resultado correto:



a) S = { -1 }
b) S = { 1 }
c) S = { 2.187 }
d) S = { -6.561 }
e) nra

03) Calcule a equação a seguir e marque a alternativa que contenha seu resultado correto:



a) S = { 0 }
b) S = { 1 }
c) S = { 3 }
d) S = { 8 }
e) nra

04) Calcule a equação a seguir e marque a alternativa que contenha seu resultado correto:

p - 6 + 5p = 0

a) S = { 0 }
b) S = { 1}
c) S = { 2 }
d) S = { 3 }
e) nra

05) Qual é o número inteiro que é solução da equação


a) S = { 1 }
b) S = { 3}
c) S = { 4 }
d) S = { 5 }
e) nra

06) Na escola, Judith decidiu vender trufas de chocolate para ajudar na compra de um livro de matemática. Para quem quisesse pagar um preço menor na trufa, Judith propôs a seguinte condição:
“Resolva a equação 4x – 7 = 15. Se você obtiver o resultado correto, o valor de sua trufa será o mesmo do resultado.”
Quanto pagou quem acertou o desfio em cada trufa?
a) R$ 1,50
b) R$ 2,00
c) R$ 2,50
d) R$ 3,50
e) R$ 5,50
TAREFA DE LÍNGUA PORTUGUESA PARA 23/06/18 – VALE 5,0%

Olá meu queridos, vamos para mais uma tarefa?
Bom primeiro, quero que leiam as REGRAS DE TAREFA(http://cursopreparatorioparacefetmt.blogspot.com.br/2016/02/regras-de-tarefa-do-curso-para-novos.html) para realizarem-na de forma correta e não deixar que sejam desclassificadas. Isso porque alguns alunos estão insistindo em realizar as tarefas de forma incorreta.


Texto 01                    

PARA REPARTIR COM TODOS

Com este canto te chamo,
porque depende de ti.
Quero encontrar um diamante,
sei que ele existe e onde está.
Não me acanho de pedir
ajuda: sei que sozinho
nunca vou poder achar.
Mas desde logo advirto:
para repartir com todos.

Traz a ternura que escondes
machucada no teu peito.

Eu levo um resto de infância
que meu coração guardou.
Vamos precisar de fachos
para as veredas da noite
que oculta e, às vezes, defende
o diamante

Vamos juntos.
Traz toda a luz que tiveres,
não te esqueças do arco-íris
que escondeste no porão.
Eu ponho a minha poronga,
de uso na selva, é uma luz
que se aconchega na sombra.

Não vale desanimar
nem preferir os atalhos
sedutores que nos perdem,
para chegar mais depressa.

Vamos achar o diamante
para repartir com todos.
Mesmo com quem não quis vir
ajudar, falta de sonho.
Com quem preferiu ficar
sozinho bordando de ouro
o seu umbigo engelhado.
Mesmo com quem se fez cego
ou se encolheu na vergonha
de aparecer procurando.
Com quem foi indiferente
e zombou das nossas mãos
infatigados na busca.
Mas também com quem tem medo
do diamante e seu poder,
e até com quem desconfia
que ele exista mesmo.

E existe:
o diamante se constrói
quando o procuramos juntos
no meio da nossa vida
e cresce, límpido,cresce,
na intenção de repartir
o que chamamos de amor.

© THIAGO DE MELLO 
In Mormaço na floresta, 1984




01) A quem o poema se dirige?
a) à amada do autor
b) ao leitor
c) somente às leituras
d) às crianças
e) nra

02) Sobre o texto, é incorreto dizer que:
a) O poeta convida todos para ajudá-lo a encontrar um diamante
b) O autor adverte que o diamante deve ser repartido com todos
c) Segundo o poeta, a busca é longa, difícil e não há como simplifica-la
d) O diamante citado pelo autor, se constrói à medida que os homens o procuram
e) Para o autor o mais importante não é busca pelo diamante, e sim encontrá-lo

03) Ainda sobre o texto, é correto afirmar que:
a) O poeta escolheu além do diamante, outras pedras preciosas para construir seu pensamento
b) Em seu poema-convite, o poeta utiliza da terceira pessoa do singular para dirigir-se ao leitor
c) A arvore simbólica que resulta da dança da fita, o diamante de que trata o poema e ideia de sonho da epigrafe rem um ponto em comum: dependem da participação de todos
d) A resistência, a pureza, a transparência e seu tom dourado, justificam a escolha do diamante como força motriz do poema.
e) nra

Texto 02
A Moça Tecelã
Por Marina Colasanti

         Acordava ainda no escuro, como se ouvisse o sol chegando atrás das beiradas da noite. E logo sentava-se ao tear.
Linha clara, para começar o dia. Delicado traço cor da luz, que ela ia passando entre os fios estendidos, enquanto lá fora a claridade da manhã desenhava o horizonte.
Depois lãs mais vivas, quentes lãs iam tecendo hora a hora, em longo tapete que nunca acabava.
Se era forte demais o sol, e no jardim pendiam as pétalas, a moça colocava na lançadeira grossos fios cinzentos  do algodão  mais felpudo. Em breve, na penumbra trazida pelas nuvens, escolhia um fio de prata, que em pontos longos rebordava sobre o tecido. Leve, a chuva vinha cumprimentá-la à janela.
Mas se durante muitos dias o vento e o frio brigavam com as folhas e espantavam os pássaros, bastava a moça tecer com seus belos fios dourados, para que o sol voltasse a acalmar a natureza.
Assim, jogando a lançadeira de um lado para outro e batendo os grandes pentes do tear para frente e para trás, a moça passava os seus dias.
Nada lhe faltava. Na hora da fome tecia um lindo peixe, com cuidado de escamas. E eis que o peixe estava na mesa, pronto para ser comido. Se sede vinha, suave era a lã cor de leite que entremeava o tapete. E à noite, depois de lançar seu fio de escuridão, dormia tranqüila.
Tecer era tudo o que fazia. Tecer era tudo o que queria fazer.
Mas tecendo e tecendo, ela própria trouxe o tempo em que se sentiu sozinha, e pela primeira vez pensou em como seria bom ter um marido ao lado.
Não esperou o dia seguinte. Com capricho de quem tenta uma coisa nunca conhecida, começou a entremear no tapete as lãs e as cores que lhe dariam companhia. E aos poucos seu desejo foi aparecendo, chapéu emplumado, rosto barbado, corpo aprumado, sapato engraxado. Estava justamente acabando de entremear o último fio da ponto dos sapatos, quando bateram à porta.
Nem precisou abrir. O moço meteu a mão na maçaneta, tirou o chapéu de pluma, e foi entrando em sua vida.
Aquela noite, deitada no ombro dele, a moça pensou nos lindos filhos que teceria para aumentar ainda mais a sua felicidade.
E feliz foi, durante algum tempo. Mas se o homem tinha pensado em filhos, logo os esqueceu. Porque tinha descoberto o poder do tear, em nada mais pensou a não ser nas coisas todas que ele poderia lhe dar.
— Uma casa melhor é necessária — disse para a mulher. E parecia justo, agora que eram dois. Exigiu que escolhesse as mais belas lãs cor de tijolo, fios verdes para os batentes, e pressa para a casa acontecer.
Mas pronta a casa, já não lhe pareceu suficiente.
— Para que ter casa, se podemos ter palácio? — perguntou. Sem querer resposta imediatamente ordenou que fosse de pedra com arremates em prata.
Dias e dias, semanas e meses trabalhou a moça tecendo tetos e portas, e pátios e escadas, e salas e poços. A neve caía lá fora, e ela não tinha tempo para chamar o sol. A noite chegava, e ela não tinha tempo para arrematar o dia. Tecia e entristecia, enquanto sem parar batiam os pentes acompanhando o ritmo da lançadeira.
Afinal o palácio ficou pronto. E entre tantos cômodos, o marido escolheu para ela e seu tear o mais alto quarto da mais alta torre.
— É para que ninguém saiba do tapete — ele disse. E antes de trancar a porta à chave, advertiu: — Faltam as estrebarias. E não se esqueça dos cavalos!
Sem descanso tecia a mulher os caprichos do marido, enchendo o palácio de luxos, os cofres de moedas, as salas de criados. Tecer era tudo o que fazia. Tecer era tudo o que queria fazer.
E tecendo, ela própria trouxe o tempo em que sua tristeza lhe pareceu maior que o palácio com todos os seus tesouros. E pela primeira vez pensou em como seria bom estar sozinha de novo.
Só esperou anoitecer. Levantou-se enquanto o marido dormia sonhando com novas exigências. E descalça, para não fazer barulho, subiu a longa escada da torre, sentou-se ao tear.
Desta vez não precisou escolher linha nenhuma. Segurou a lançadeira ao contrário, e jogando-a veloz de um lado para o outro, começou a desfazer seu tecido. Desteceu os cavalos, as carruagens, as estrebarias, os jardins.  Depois desteceu os criados e o palácio e todas as maravilhas que continha. E novamente se viu na sua casa pequena e sorriu para o jardim além da janela.
A noite acabava quando o marido estranhando a cama dura, acordou, e, espantado, olhou em volta.  Não teve tempo de se levantar. Ela já desfazia o desenho escuro dos sapatos, e ele viu seus pés desaparecendo, sumindo as pernas. Rápido, o nada subiu-lhe pelo corpo, tomou o peito aprumado, o emplumado chapéu.
Então, como se ouvisse a chegada do sol, a moça escolheu uma linha clara. E foi passando-a devagar entre os fios, delicado traço de luz, que a manhã repetiu na linha do horizonte.



04) Sobre o texto pode-se entender que:
a) O texto é uma narrativa
b) O texto é não é uma ficção
c) Em “...chapéu emplumado, rosto barbado, corpo aprumado, sapato engraxado.” A descrição serve para descaracterizar a personagem
d) Em “Mas tecendo e tecendo, ela própria trouxe o tempo em que se sentiu sozinha,...” o narrador afirma que a moça foi ficando cada vez mais jovem.
e) nra

05) Em qual das alternativas abaixo, percebe-se que a autora aproveitou a sonoridade das palavras para construir a frase?
a) Mas pronta a casa, já não lhe pareceu suficiente.
b) Para que ter casa, se podemos ter palácio? — perguntou.
c) Dias e dias, semanas e meses trabalhou a moça tecendo tetos e portas, e pátios e escadas, e salas e poços.
d) A noite chegava, e ela não tinha tempo para arrematar o dia.
e) Tecia e entristecia, enquanto sem parar batiam os pentes acompanhando o ritmo da lançadeira.

06) Aponte a alternativa incorreta em relação ao texto:
a) Quando o período “Tecer era tudo o que fazia. Tecer era tudo o que queria fazer.” Aparece pela primeira vez, a tecelã sente-se tranquila, tecia pro prazer.
b) Quando o período “Tecer era tudo o que fazia. Tecer era tudo o que queria fazer.” Aparece pela segunda vez, a tecelã está triste, tecer não é mais um prazer, mas uma atividade que a faz esquecer-se do mundo.
c) Ambição é a característica que fica evidenciada no marido da tecelã na fala “Por que termos casa, se podemos ter palácio?”.
d) nra


RESPOSTAS DAS ATIVIDADES EXTRAS APLICADAS DIA 16/06/18


ATIVIDADE EXTRA – A

01) E

ATIVIDADE EXTRA – B


01) C

RESPOSTAS DA TAREFA DE LÍNGUA PORTUGUESA DO BLOG ENTREGUE DIA 16/06/18


01) B

02) C

03) B

04) C

05) C

06) E


RESPOSTAS DA TAREFA DE MATEMÁTICA DO BLOG ENTREGUE DIA 16/06/18




01) A

02) A

03) D

04) C

05) A

06) B


quinta-feira, 14 de junho de 2018

ALUNOS COM VENCIMENTO NO PRÓXIMO SÁBADO 16/06/18


Alfredo Henrique Leite Bataioli
Amanda Morais Ferreira
Ana Beatriz Menezes dos Reis
Ana Flávia Saulina Marinho
Ana Paula Castro Lima
Andre Meira Canedo *
Anthonny Luiz da Silva Oliveira
Antoniele Luiza da Cruz Souza
Artur Henrique Meira Canedo *
Aysla Caroline Souza Silva
Cínthya Fernanda Esteves dos Santos
Ecleia Louize de Moraes Torchi
Eros Almeida de Moraes
Felipe Fernandes Inacio de Oliveira
Gabriel Kauã Antunes Leite
Gabriel Moreira Bordin
Gabriel Taques Amorim
Gabrielli Moura Zitkoski *
Gilson Kerkhoff Junior
Grazielly Campos de Moraes
Iasmim Gabrielly Campos de Moraes
Isadora Cristhine de Almeida Araújo
Julia Pereira Lima *
Layne Iray de Oliveira Rosa *
Lorena Ferreira Vasconcelos
Luiz Xavier de Oliveira Guia
Maria Eduarda Lopes Pedraza *
Mateus Alexandre Alves Pereira
Mateus Leite Moreira
Mateus Silva Dourado *
Milena Franco Marques Barros
Patricia Albertassi Langer
Pedro Paulo Leite da Cruz Benites *
Vitória Verissima Silva Neves
Walmir Breno Lucena Reis
Yasmim Maria Guimarães Lino de Souza *

JANTAR COM OS MELHORES DO 2º BIMESTRE 2018


Esta quinta-feira foi muito massa!

Fomos ao Detroit Steakhouse, saborearmos um delicioso rodizio de aperitivos americanos. Muito refrigerante e diversão!

Além de um partida deliciosa de Dobble, houve ainda distribuição de 10 caixas de Bis, 6 Spinners e 5 quebras cabeças da Grow!

Adorei estar com vocês meus queridos!


Continuem assim, aplicados e estudiosos! Vocês merecem!